A Suplementação de leucina gera resultados

Todos que praticam alguma atividade física buscam energia suficiente para garantir um bom desempenho físico e consequentemente buscam retardar ao máximo a fadiga durante essa atividade. Já está mais que provado que uma dieta e uma suplementação adequada são de extrema importância para garantir um bom desempenho, não importa a atividade física que você pratique.¹ Atualmente, esportistas em geral vêm consumindo suplementos alimentares, principalmente proteicos, buscando um aumento da hipertrofia. Esta relação do consumo de proteínas e o aumento do desempenho físico vem de longa data.

Nove aminoácidos são considerados essenciais, uma vez que devem, ser consumidos por meio da dieta por não serem sintetizados. Dentre esses aminoácidos, incluem os três aminoácidos de cadeia ramificada, os famosos (BCAA), ou seja, leucina, isoleucina e valina que representam 35% de aminoácidos essenciais .²

Estudos relatam que diferente de outros aminoácidos que são oxidados primeiramente no tecido hepático, a oxidação dos BCAA, está localizado no músculo esquelético. A leucina apresenta uma taxa de oxidação superior no tecido muscular em comparação a isoleucina e a valina. A necessidade diária de aminoácidos de cadeia ramificada é 10g de isoleucina, 10g de valina e 14 de leucina.³

Estudos recentes mostram que a suplementação isolada ou não de leucina, desempenha um papel importante na hipertrofia e recuperação muscular principalmente em humanos. Em estudos com músculo esquelético perfundido, foi verificado que o fornecimento de leucina isoladamente estimula a síntese proteica muscular tão efetivamente quanto a mistura dos três BCAA.⁴

Não apenas quem busca ganhar músculos, mas também atletas iniciantes podem tirar vantagem da leucina, pois ela eleva a melhora do desempenho físico, mesmo em atividades aeróbicas. Um estudo relatou que a suplementação de leucina por seis semanas melhorou significativamente a resistência e a força na parte superior do corpo dos canoístas. Da mesma forma, a pesquisa confirmou que a leucina aumentou a massa muscular e melhorou o desempenho dos atletas.

Para quem procura perder gordura, sua suplementação também é uma boa opção. Vários estudos confirmaram que a leucina tem um efeito potente na redução de gordura. Uma pesquisa de 2015 mostrou que a suplementação do aminoácido leucina reduz o acúmulo de gordura e impede o desenvolvimento de obesidade relacionada à dieta. A leucina possui efeito terapêutico após exercícios de resistência, é responsável por resultados benéficos na redução de lesões musculares e também por acelerar o processo de recuperação. A suplementação de leucina livre combinada a treinamento de resistência possui impactos significativos na força muscular e consequentemente no aprimoramento da capacidade funcional de idosos.⁵

Foi concluído que a suplementação de leucina isolada ou combinada com carboidratos, EAA e BCAA são eficazes no processo de síntese proteica muscular tanto em humanos como em animais. Foi observado ainda que esta situação se deve principalmente ao fato deste aminoácido atuar através da ativação da mTOR e das proteínas chaves envolvidas no processo de tradução do RNAm e, que este efeito é potencializado pela combinação desta intervenção com a prática de protocolos de exercícios físicos de moderados a intensos. Porém, estudos relataram resultados negativos com relação à suplementação de leucina sobre a homeostase da glicose, tais como: aumento da glicemia e piora da sensibilidade à insulina e da tolerância à glicose. No entanto, ressalta-se que em doses adequadas a leucina pode exercer efeitos benéficos sem comprometer os mecanismos de regulação de glicose.⁶

 

Referências:

  1. Aoi, W.; Naito, Y.; Yoshikawa, T. Exercise and Funcional Foods. Review Article. Nutrition Journal. Kyoto. 2006. p. 5-15.
  2. Rogero, M. M.; Tirapegui, J. Aspectos Atuais sobre Aminoácidos de Cadeia Ramificada e Exercício Físico. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. São Paulo. Vol. 44. Num. 4. 2008.
  3. Zanchi, N. E.; Nicastro, H.; Lira, F. S.; Rosa, J. C.; Costa, A. S.; Lancha Junior, A. H. Suplementação de Leucina: Nova Estratégia Antiatrópica. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte. São Paulo. Vol. 8. Num. 1. 2009.
  4. Vianna, D.; Teodoro, G. F. R.; Torres-Leal, F. L.; Tirapegui. Protein Synthesis Regutation by Leucine. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. São Paulo. Vol. 46. Num. 1. 2010. p. 25-29.
  5. JÚNIOR, M. P. Aspectos atuais sobre aminoácidos de cadeia ramificada e seu efeito ergogênico no desempenho físico humano. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v. 6. n. 36. p.436-448, 2012.
  6. LAYMAN, Donald K.; PAUL, Greg L.; OLKEN, Melissa H. Metabolismo de aminoácidos durante o exercício. In: WOLINSKY, I.; HICKSON JR, J. F. Nutrição no exercício e no esporte. São Paulo: Roca Ltda, 1996. p. 134-148.

 

GV NUTRIÇÃO

Guilherme Villaboim

Nutricionista Clínico e Esportivo

Campinas

CRN: 38526

Mais postagens

Água com limão emagrece?

Água com limão emagrece?

A realidade é que, se você se deparar com uma dica MILAGROSA para perder peso,…

Qual é o melhor atum, em água ou em óleo?

Qual é o melhor atum, em água ou em óleo?

Tenha em mente que, o melhor atum é o in natura! Mas todos sabemos que…

Ficar sem comer emagrece?

Ficar sem comer emagrece?

Preste a atenção no que eu vou te falar! Ficar sem comer faz com que…

O que comer antes de dormir?

O que comer antes de dormir?

Eu sei que você já se viu nessa situação. O que posso comer antes de…

GUILLERME VILLABOIM

CRN: 38526