Os benefícios do whey protein na terceira idade

A nutrição é fundamental para a saúde dos idosos e a proteína é um nutriente-chave durante essa fase da vida. A maioria dos idosos tem uma ingestão insuficiente de proteínas de alto valor biológico. A utilização do whey protein pode ser uma estratégia nutricional para aumentar o aporte proteico, podendo melhorar o desempenho muscular ao estimular a síntese proteica.

Estudos indicam que suplementos a base de whey protein promovem a síntese proteica, melhorando o desempenho muscular, a capacidade aeróbica e prevenindo a sarcopenia. O consumo também parece contribuir para a qualidade de vida, recuperação de doenças, prevenção de riscos cardiovasculares e metabólicos e nas complicações da esteatose hepática. Evidências apontam para maior necessidade proteica por indivíduos idosos a fim de promover a saúde e manter ou recuperar a funcionalidade muscular. Segundo o estudo do grupo PROT-AGE (grupo representado por diversas associações internacionais de gerontologia e nutrição), recomenda-se que idosos saudáveis devam consumir 1,0-1,2g de proteína/kg peso/ dia, porém, quando associado a exercícios de força ou aeróbios, este consumo deve ser acima de 1,2g proteína/kg peso/ dia.¹

É importante salientar que tais recomendações são baseadas em estudos com balanço nitrogenado, método que considera que proteínas são as substâncias fornecedoras de nitrogênio ao organismo. Deste modo, qualquer alteração de nitrogênio corporal representa ganhos ou perdas de proteína, ou seja, a quantidade de proteína necessária para manter um balanço nitrogenado neutro corresponde à quantidade ideal de proteína a ser ingerida. Por outro lado, o balanço nitrogenado não identifica ações específicas da ingestão sobre os processos de síntese e degradação proteica, apenas considera o balanço de nitrogênio, podendo assim subestimar as reais necessidades proteicas. ²

Três fatores determinantes influenciam a utilização da proteína dietética pelo organismo na população idosa: consumo inadequado (inapetência e distúrbios gastrointestinais), redução na capacidade de absorção e utilização da proteína disponível (resistência à insulina, resistência anabólica e alto desvio esplâncnico) e maior necessidade de proteína (comorbidades, doenças inflamatórias, mudanças na oxidação de proteínas). Os dados sugerem que a suplementação com whey protein pode ser promissor na manutenção muscular e funcionalidade. Além de recuperação de doenças, melhorando assim, a qualidade de vida dos idosos.³

De acordo com um novo estudo conduzido pela Universidade McMaster, o whey protein e outras proteínas em pó podem melhorar muito a força física dos idosos. Foram formados dois grupos de homens idosos com 70 anos ou mais. Um grupo tomou o suplemento nutricional whey protein por seis semanas, sem seguir nenhum regime de exercícios. Enquanto o segundo grupo de homens tomou um placebo por seis semanas. Após seis semanas, os participantes de ambos os grupos continuaram a tomar o whey protein e o placebo pelas 12 semanas seguintes e também realizaram um programa de treinamento físico progressivo que consiste em treinamento de resistência e de alta intensidade. ⁴

Os participantes que tomaram o whey protein ganharam cerca de 1,5 quilos de massa muscular principalmente nas primeiras seis semanas. Essa é a quantia que geralmente um homem idoso perde em 1 ano. Depois de adicionar exercícios à sua rotina, observou-se que eles tiveram mais força após tomar shakes de proteína do que aqueles que tomaram o placebo. A deterioração da massa e força muscular, faz parte do envelhecimento, pode aumentar o risco de quedas, distúrbios metabólicos e necessidade de assistência. Idosos que não consomem proteína suficiente ou não fazem exercícios, acham realmente difícil realizar atividades diárias como subir escadas, sentar-se e levantar-se de uma cadeira e muito mais. Fica claro pela somatória de estudos que o consumo de whey protein para idosos aliados há uma rotina de atividade física são muito importantes para manutenção da massa muscular como a qualidade de vida.

 

 

Referências:

  1. Bauer J, Biolo G, Cederholm T, Cesari M, CruzJentoft AJ, Morley JE, et al. Evidence-Based Recommendations for Optimal Dietary Protein Intake in Older People: A Position Paper From the PROT-AGE Study Group. J Am Med Dir Assoc. 2013;14(8):542-559. PMid:23867520. http://dx.doi. org/10.1016/j.jamda.2013.05.021
  2. Consultation JWFUE. Protein and amino acid requirements in human nutrition. World Health Organ Tech Rep Ser. 2007(935):1-265, back cover.
  3. Siparsky PN, Kirkendall DT, Garrett WE, Jr. Muscle changes in aging: understanding sarcopenia. Sports Health. 2014; 6(1):36-40. 17.
  4. Dreyer HC, Volpi E. Role of protein and amino acids in the pathophysiology and treatment of sarcopenia. J Am Coll Nutr. 2005; 24(2):140S-45S

 

GV NUTRIÇÃO

Guilherme Villaboim

Nutricionista Clínico e Esportivo

Campinas

CRN: 38526

Mais postagens

O que comer no pré treino?

O que comer no pré treino?

A maioria não se sente bem treinando após uma refeição grande e quem treina sabe

Pão de queijo vegano

Pão de queijo vegano

Essa opção apresenta redução de aproximadamente 50% do valor energético de um pão de queijo

Trufas energéticas

Trufas energéticas

Que tal um lanche rápido e saudável com apenas 3 ingredientes? Essas trufas energéticas são

Furei a Dieta, e agora?

Furei a Dieta, e agora?

Existem dias bons e ruins quando nos comprometemos a fazer um planejamento de dieta e

GUILLERME VILLABOIM

CRN: 38526