Como incluir embutidos na dieta

É muito comum os pacientes relatarem no consultório que em uma das refeições comem “lanche natural” com peito de peru ou presunto. O consumo de embutidos facilita muito a vida do paciente pela praticidade de quem não tempo para elaborar algo realmente mais natural e saudável.

Eu não sou o tipo de nutricionista que pratica o extremismo, afinal de contas, uma dieta equilibrada para que seja seguida a longo prazo não pode ter restrições extremas.

Porém, é importante entender que os embutidos geralmente são uma carne processada feito com uma mistura de carne e gordura animal, além de diversos temperos industrializados, aromatizantes, grandes quantidades de conservantes naturais e sintéticos, além de muito sódio.

Pode se dizer que são versáteis, práticos e saborosos, esses alimentos fazem parte da mesa de muitos brasileiros, e ainda ganham destaque principalmente pelas mudanças que são feitas constantemente em suas fórmulas para minimizar os teores de gorduras, sódio e conservantes. Apesar disso, concordamos que grande parte das salsichas, frios e embutidos em geral, ainda sim possuem uma parcela desses nutrientes, mesmo aqueles que possuem quantidades menores em sua composição. Por esse motivo precisam de atenção para o seu consumo.

É importante salientar que a proteína encontrada em grande parte dos embutidos possui um valor biológico baixo, excesso de sódio, muitos conservantes, entre outros, o que não são nada interessantes para quem busca emagrecimento e principalmente para a saúde.

Portanto, tome cuidado com a inserção desses alimentos em sua dieta. Se for consumir refeições rápidas e práticas dê preferência para um sanduiche de queijo cottage com atum ou um sanduiche de frango desfiado com creme de ricota ao invés de um sanduíche de presunto e queijo, por exemplo.

É claro que não é o fim do mundo colocar uma ou duas fatias de peito de peru na omelete ou salada. Se os embutidos forem inseridos com disciplina, moderação, equilíbrio e estratégia podem agregar benefícios extras, sejam eles psicológicos ou físicos.

Lembre-se que o extremismo popularizado pregando a retirada total de um nutriente ou alimento da dieta, geralmente nada mais é do que um grande marketing para enganar o consumidor, portanto procure um profissional sério e qualificado para te dar orientação sobre o assunto.

 

 

GV NUTRIÇÃO

Guilherme Villaboim

Nutricionista Clínico e Esportivo

Campinas

CRN: 38526

Mais postagens

O que comer no pré treino?

O que comer no pré treino?

A maioria não se sente bem treinando após uma refeição grande e quem treina sabe

Pão de queijo vegano

Pão de queijo vegano

Essa opção apresenta redução de aproximadamente 50% do valor energético de um pão de queijo

Trufas energéticas

Trufas energéticas

Que tal um lanche rápido e saudável com apenas 3 ingredientes? Essas trufas energéticas são

Furei a Dieta, e agora?

Furei a Dieta, e agora?

Existem dias bons e ruins quando nos comprometemos a fazer um planejamento de dieta e

GUILLERME VILLABOIM

CRN: 38526