Aumentando a imunidade com suplementos

Em poucos meses, nossas vidas mudaram demais devido à Covid-19, todos estão suscetíveis a se tornarem um portador do vírus, e isso afeta especialmente quem tem um sistema imunológico frágil e aqueles entre os grupos de risco. As organizações de saúde por todo mundo estão aconselhando maneiras de manter o sistema imunológico mais forte, com uma dieta saudável, uma boa noite de sono, prática de exercícios de maneira moderada e utilização de suplementos nutricionais. A ingestão adequada de proteína de alto valor biológico na dieta, como ovos, leite, proteína de soja e Whey Protein, são essenciais para manter o sistema imunológico alto.

Whey Protein

O Whey Protein é uma fonte de proteína completa e bem conhecida que fornece todos os aminoácidos essenciais que o nosso corpo precisa. A proteína do soro do leite ou Whey Protein, como é mais conhecido, contém proteínas individuais, como lactoferrina e imunoglobulinas, que têm bioatividade de reforço imunológico.¹ Além do mais, a proteína do soro do leite tem um poder antioxidante, ela é rica nos aminoácidos cisteína e metionina. A ingestão inadequada de proteínas pode levar a uma função imunológica mais fraca, recuperação mais lenta de doenças e perda de massa corporal magra. Nesse sentido, as evidências mostram que uma maior ingestão de proteína na dieta é benéfica para manter a funcionalidade do corpo e promover a recuperação em adultos que estão em condições catabólicas, como repouso agudo, desnutrição, inatividade física e infecções virais.²

Multivitamínico

A suplementação diária de um multivitamínico assegura que você esteja ingerindo quantidades mínimas de vitaminas e minerais, mesmo nos dias que você não conseguiu fazer uma alimentação equilibrada. Descobriram em estudos que deficiências de zinco, selênio, ferro, cobre, ácido fólico e vitaminas A, B6, C, D e E podem alterar as respostas imunológicas. Esses nutrientes ajudam o sistema imunológico de várias maneiras: atuando como antioxidantes para proteger as células saudáveis, apoiando o crescimento e a atividade das células imunológicas e produzindo anticorpo.³ De fato, a ingestão adequada de micronutrientes é necessária para que o sistema imunológico funcione de maneira correta. A deficiência de micronutrientes suprime a imunidade ao afetar as respostas de anticorpos inatas, mediadas por células T e adaptativas. Essa situação aumenta a suscetibilidade a infecções. A ingestão insuficiente de micronutrientes ocorre em pessoas com transtornos alimentares, em fumantes (ativos e passivos), em indivíduos com abuso crônico de álcool, em certas doenças, durante a gravidez e lactação, e em idosos.⁴

Glutamina

Outro suplemento muito versátil é a glutamina. Seu uso se estende da área hospitalar à academia. De todos os aminoácidos, a glutamina é o mais abundante em nosso corpo, ela é armazenada principalmente nos músculos, mas também pode ser encontrada nos pulmões, fígado, cérebro e sangue (plasma). É considerada um aminoácido não essencial, pois o corpo tem a capacidade de produzi-lo. Os benefícios comprovados do uso da glutamina no combate a infecções e na aceleração da recuperação levaram a sua introdução como um componente importante nas soluções de alimentação intravenosa usadas em hospitais.⁵ Pesquisadores experimentaram o uso de glutamina em pacientes com câncer e descobriram que ela ajuda na prevenção de úlceras na boca, dores musculares e os efeitos colaterais de certos tipos de quimioterapia. Durante sessões de exercícios intensos, os níveis de glutamina no plasma caem, pois seu corpo exige mais desse aminoácido do que as fibras musculares sobrecarregadas podem produzir.⁶ Muitos atletas de diversos esportes usam a glutamina para manter seu sistema imunológico fortalecido.

Vale ressaltar que nenhuma suplementação ou dieta afastará uma doença, mas certos nutrientes e uma boa suplementação, acompanhada de exercício físico regular, boa qualidade de sono e uma alimentação saudável, podem auxiliar na proteção do corpo de milhões de bactérias, vírus e outros germes, prevenindo de muitas doenças.

 

Referências:

  • Wong CW, Dennis L. Watson. Immuno-modulatory effects of dietary whey proteins in mice. Journal of Dairy Research. 1995: 62 359-368.
  • Ng, Tzi Bun, et al. Antiviral activities of whey proteins. Applied microbiology and biotechnology 99.17 (2015): 6997-7008.
  • Chandra, RK. Nutrition and the imune system from birth do old age. Eur J Clin Ntr.2002;56 s73.
  • Chandra RK. Nutrition and the immune system: an introduction. The American journal of clinical nutrition. 1997 Aug 1;66(2):460S-3S.
  • Welbourne, T. Increased plasma bicarbonate and growth hormone after an oral glutamine load. American Journal of Clinical Nutrition. 1995; 61: 1058-1061.
  • MacLennan PA, Smith K, Weryk B, Watt PW Rennie MJ. Inhibition of protien breakdown by glutamine in perfused rat skeletal muscle. FEBS Lett. 1988 Sep 12;237 (1-2) :133-6.

 

GV NUTRIÇÃO

Guilherme Villaboim

Nutricionista Clínico e Esportivo

Campinas

CRN: 38526

Mais postagens

O que comer no pré treino?

O que comer no pré treino?

A maioria não se sente bem treinando após uma refeição grande e quem treina sabe

Pão de queijo vegano

Pão de queijo vegano

Essa opção apresenta redução de aproximadamente 50% do valor energético de um pão de queijo

Trufas energéticas

Trufas energéticas

Que tal um lanche rápido e saudável com apenas 3 ingredientes? Essas trufas energéticas são

Furei a Dieta, e agora?

Furei a Dieta, e agora?

Existem dias bons e ruins quando nos comprometemos a fazer um planejamento de dieta e

GUILLERME VILLABOIM

CRN: 38526